A história do tênis no Brasil está intimamente ligada à do futebol. Assim como o esporte mais popular do País, o tênis chegou ao Brasil no final do século 19, pelas mãos dos trabalhadores ingleses da São Paulo Railway e da Light, que vieram implantar os serviços de ferrovia, força e luz. Foram eles que trouxeram raquetes e bolas, fundaram o São Paulo Athletic Club e lá construíram as primeiras quadras.

O São Paulo Athletic Club também é o berço do futebol no Brasil.

Os primeiros movimentos para a fundação da Federação Paulista de Tênis começaram na realidade oito anos antes da data oficial (6 de março de 1924) que vem sendo comemorada. Eles foram feitos em 4 de abril de 1916, com a instalação da “Comissão de Lawn Tennis” da Associação Paulista de Esportes Atléticos – APEA – à qual estava ligada a atividade do tênis em São Paulo.

Pertenciam a esta comissão: Maércio P. Munhoz, João Didier, Gastão Rachou e Antonio Bayma, que assinou a ata histórica, e na presidência Munhoz. Já nessa época eram realizados sucessivos campeonatos entre clubes locais e contra representações de outros estados.

A Assembléia Geral Extraordinária da já então Federação Paulista de Tênis, teve a participação de diretores do São Paulo Tênis Clube, S.C. Syrio das Palmeiras, Clube Esperia, Portugal Clube, S. C.

Germânia, Tennis Club de Campinas, São Paulo Athletic Club, Santos Athletic Club, C. A Paulistano e Clube de Regatas Tietê. Foi realizada em dois de abril de 1924, na sede provisória da Rua São Bento, 51-A, sob a presidência de Maércio Munhoz. Na Assembléia foram reconhecidas, por unanimidade, como sociedades fundadoras da FPT, o E.C. Germânia, Portugal Clube, Santos Athletic Club e Tennis Club de Campinas.

A primeira reunião de diretoria foi realizada em vinte de março de 1924 com a seguinte Ordem do Dia:

1 – Eleição para o cargo de 2º tesoureiro, vago com a renúncia do Dr. Francisco Glicério de Freitas
2 – Eleição do Conselho Superior
3 – Reconhecimento das sociedades fundadoras
4 – Assuntos gerais de interesse social

Tratou-se depois da instalação da federação em salas apropriadas, com mobiliário adequado. O presidente foi autorizado a gastar R$ 4.000$000 (quatro contos de réis) na aquisição de peças indispensáveis ao funcionamento do escritório da diretoria.

Na reunião de 27 de março de 1924 foram escolhidos os dez integrantes do Conselho Superior: Carlos Laue, Oswaldo Pacheco, Percy W. Crewe, Antonino Sampaio, Rafael Sampaio, Mac Gregor, Herbert Boyes, Apparicio Serpa, Charles Miller, Mario Cardim, Numa de Oliveira, João Didier, Christiano Klingelhoefer, José Gozo, Germando Martins, José Rubião, Mario Souto, Márcio Munhoz, Hans Nobling e Theodureto de Carvalho.

A Ata da quarta reunião de diretoria , em 10 de abril de 1924 confirmava entendimentos havidos entre os diretores O Delany e Erasmo Assumpção Jr. com H. Portlock, colocando a Taça Mappin Stores à disposição da FPT e, como diretor da empresa, prontificando-se a facilitar a aquisição, a preços especiais, de artigos para a sede social. Nesse mesmo dia chegava ofício da Associação Paulista de Esportes Atléticos, transferindo para a federação o direito de promover as taças “A P S A”, Centenário e outro do C. A Paulistano cedendo os direitos da taça Anglo Brasileira.

Na mesma reunião, o presidente comunicava aos diretores que a Federação havia sido devidamente registrada, adquirindo portanto personalidade jurídica.

Em 1936, na reunião de 18 de fevereiro, gestão do presidente Antonio Prado Jr. era aprovada, por unanimidade, a proposta da diretoria sobre a filiação da Federação Paulista de Tênis à Federação Brasileira de Tênis. À época, as reuniões eram realizadas na sede da Rua Quintino Bocaiúva , 59.

Assim, nossa entidade foi adquirindo personalidade própria, adaptando seus estatutos.

Do livro comemorativo dos 100 anos do C. A Paulistano extraímos algumas informações bastante curiosas. O tênis começava a ser moda, mas era considerado esporte de elite.

No Paulistano estavam Maércio Munhoz, primeiro presidente da FPT e Erasmo Assumpção Júnior, o segundo, temidos pelos adversários e com fama de grandes jogadores. Munhoz figurava como o melhor da cidade. Foram criadas a Taça Paulistano, e reativada a Prado Júnior.

De acordo com o Estatuto, são considerados fundadores da Federação Paulista de Tênis o Clube Esperia, Esporte Clube Sírio, Club Athletico Paulistano, Clube Athletico São Paulo (dos Ingleses), Esporte Clube Pinheiros e Tênis Clube de Campinas. Depois foram equiparados à categoria de fundadores o Clube Atlético Monte Líbano, Clube de Regatas Saldanha da Gama, Clube de Regatas Tietê, Tênis Clube de Santos, Sociedade Esportiva Palmeiras, Sociedade Harmonia de Tênis, Tênis Clube Paulista e posteriormente São Paulo Futebol Clube. Desses, apenas o Tietê e Saldanha da Gama não estão mais filiados à entidade.

Rua: Borba Gato, 951 - Atiradores - Joinville/SC - (47) 3422-6610 ou (47) 9652-1546
Desenvolvido por Objetiva Informática